Depredando o Orelhão

Download e-book: ARUNDHATI ROY, “Algebra of Infinite Justice” (with foreword by John Berger, Penguin, 2001)
SHARE THIS ON FACEBOOK
“THIS IS WHAT DEMOCRACY LOOKS LIKE”DIRECTED BY JILL FRIEDBERG & RICK ROWLEY / US / 2000 / 72 ‘PRODUCED BY BIG NOISE FILMS AND CORRUGATED FILMS

This Is What Democracy Looks Like weaves the footage of over 100 videographers into a gripping document of what really happened on Seattle’s streets. The film cuts through the confusion and tear gas to paint an intimate, passionate portrait of a week that changed the world. With narration by SUSAN SARANDON and SPEARHEAD’s MICHAEL FRANTI, and with a driving soundtrack including RAGE AGAINST THE MACHINE, DJ SHADOW, DJ MUSAKA, and COMPANY OF PROPHETS, This Is What Democracy Looks Like is the first documentary to capture the raw energy of the WTO protests, while clarifying their global and historic significance. The Independent Media Center provided a production infrastructure for over 450 media activists during the WTO protests in November 1999. With autonomous, volunteer-run media centers operating in four continents, ten countries and twenty-one cities, the IMC represents a new and powerful emerging model for independent media.
“The IMC isn’t waiting for the old guard media to tell the true story… the IMC is simply doing the job itself, reporting directly form the front lines.“
 Naomi Klein, author of NO LOGOWATCH FULL DOCUMENTARY

“THIS IS WHAT DEMOCRACY LOOKS LIKE”
DIRECTED BY JILL FRIEDBERG & RICK ROWLEY / US / 2000 / 72 ‘
PRODUCED BY BIG NOISE FILMS AND CORRUGATED FILMS

This Is What Democracy Looks Like weaves the footage of over 100 videographers into a gripping document of what really happened on Seattle’s streets. The film cuts through the confusion and tear gas to paint an intimate, passionate portrait of a week that changed the world. With narration by SUSAN SARANDON and SPEARHEAD’s MICHAEL FRANTI, and with a driving soundtrack including RAGE AGAINST THE MACHINE, DJ SHADOW, DJ MUSAKA, and COMPANY OF PROPHETS, This Is What Democracy Looks Like is the first documentary to capture the raw energy of the WTO protests, while clarifying their global and historic significance. The Independent Media Center provided a production infrastructure for over 450 media activists during the WTO protests in November 1999. With autonomous, volunteer-run media centers operating in four continents, ten countries and twenty-one cities, the IMC represents a new and powerful emerging model for independent media.

“The IMC isn’t waiting for the old guard media to tell the true story… the IMC is simply doing the job itself, reporting directly form the front lines.

 Naomi Klein, author of NO LOGO

WATCH FULL DOCUMENTARY

Safatle: “helicópteros, jatos particulares e iates não pagam IPVA porque, no Brasil, os ricos definem as leis que protegerão seus rendimentos e desejos de ostentação…”

Justicia ciega 1 copy

Charge do artista chileno Alberto Montt


COMO NÃO PAGAR IPVA

por Vladimir Safatle

Todos os anos você precisa pagar o IPVA do seu carro. Como o nome diz, trata-se de um Imposto de Propriedade sobre Veículos Automotores. Bem, um veículo automotor é, pasmem vocês, “aquele dotado de motor próprio”.

Por exemplo, um carro de boi não pagará IPVA por não ter motor próprio: o motor é o boi, a saber, uma entidade ontologicamente a parte do aparato técnico de motricidade desenvolvido pelo saber humano. A bicicleta não pagará o imposto pela mesma razão, assim como o helicóptero do banqueiro, o jato particular do escroque e o iate do Naji Nahas.

“Assim como o helicóptero, o jato particular e o iate”? Sim. Você poderá procurar todos os meandros do saber jurídico, encontrar explicações surreais, como aquela que afirma que o atual IPVA substituiu a antiga TRU (Taxa Rodoviária Única), logo os veículos automotores que pagarão impostos são apenas aqueles colados no chão.

No entanto, a verdade é uma só: helicópteros, jatos particulares e iates não pagam IPVA porque, no Brasil, os ricos definem as leis que protegerão seus rendimentos e desejos de ostentação. Bem-vindo àquilo que economistas como o francês Thomas Piketty chamam de “capitalismo patrimonial”: um capitalismo construído para quem ganha mais continuar a ganhar mais, a não precisar devolver nada para a sociedade, enquanto quem ganha menos é continuamente espoliado e recebe cada vez menos serviços do Estado.

Se os 20 mil jatos particulares e os 2.000 helicópteros que voam livremente no Brasil pagassem IPVA, teríamos algo em torno de mais R$ 8 bilhões. Esse valor é o equivalente a, por exemplo, dois orçamentos da USP. Ou seja, se aqueles que têm mais capacidade de contribuição simplesmente pagassem para ter seu singelo helicóptero o mesmo que você paga para ter seu carro, poderíamos financiar mais duas universidades com 90 mil alunos estudando gratuitamente.

Esse é apenas um dentro vários exemplos de como o Brasil se organizou para ser um país onde ser rico é um ótimo negócio. Um país que, só em 2014, deverá ter mais 17 mil milionários e nenhum deles pagando aquilo que você paga. Porque, aqui, quanto mais você sobe (de preferência de jato ou helicóptero), mais você é protegido. Isso pode parecer uma explicação primária, mas muitas vezes o óbvio é o que há de mais difícil a enxergar.

Como disse, não um esquerdista de centro acadêmico, mas o megainvestidor norte-americano Warren Buffett: “Quem disse que não há luta de classe? Claro que há, e nós estamos vencendo”.

SAIBA DE MAIS NO SITE A CASA DE VIDRO

COMPARTILHE NO FACEBOOK

"DANCING WITH DYNAMITE: Social Movements and States in Latin America", a book by Benjamin Dangl (AK Press)

Dancing with Dynamite

Synopsis: In the past decade, grassroots social movements played major roles in electing left-leaning governments throughout Latin America, but subsequent relations between the streets and the states remain uneasy. In Dancing with Dynamite, award-winning journalist Benjamin Dangl explores the complex ways these movements have worked with, against, and independently of national governments. From…

View On WordPress

Excellent interview with Arundhati Roy about the reality in India (@ Al Jazeera)

2014_0418roy

In 1997, Arundhati Roy’s first novel “The God of Small Things” made her the first Indian woman to win the prestigious Booker Prize. More than six million copies of the book were sold worldwide.

Since then, she has turned her pen to politics. During the Bush years, she was a fierce critic, calling the invasion of Afghanistan “an act of terror on the people of the world”.

In India, she has…

View On WordPress

Alberto Montt 
Artista chileno

Muito mais no
http://www.dosisdiarias.com/

Siga Depredando o Orelhão

O Rio de Janeiro continua lindo, como diz a rósea canção? [http://youtu.be/WS-tqQDzZPQ] Visto de Copacaba ou do topo do Pão de Açúcar, até pode ser, mas e quando visto da perspectiva da Maré (ocupada pelo Exército), ou quando visto a partir do Complexo do Alemão? Enquanto se aproximam os mega-eventos esportivos - tanto a Copa quanto as Olimpíadas de 2016 - que colocarão o Rio debaixo dos holofotes da mídia mundial, a imprensa internacional se debruça sobre o quebra-cabeça daquela que foi por séculos nossa capital (de 1763 a 1960): 

Por exemplo nesta reportagem da Al Jazeera English que aqui compartilhamos - uma das melhores peças de jornalismo investigativo realizadas nos últimos anos sobre a situação nas favelas: veja a operação das forças especiais da Polícia Militar do Rio - o BOPE - nos morros, utilizando táticas bem semelhantes àquelas de zonas de guerra no Iraque; conheça os dois lados do conflito que opõem o narcotráfico organizado (e armado) e a Tropa de Elite (mega-ultra-armada) que defende os interesses da especulação imobiliária, das milícias gangsteristas (tão denunciadas por Freixo), do enriquecimento de empresários (Cachoeiras e outros peixões); visite as imediações deste inferno-na-terra que é uma cadeia carioca, com suas condições desumanas e aglomerações extremas; e pergunte-se enquanto acompanha a narrativa: 

Os mega-eventos iminentes farão com que a população carcerária dispare? Os conflitos nas favelas vão se acirrar? Vivenciaremos prisões em massa dignas de um estado de exceção? Vão mandar construir outras Bangus para encarcerar manifestantes e ativistas? Queremos um Estado que gasta milhões com bombas de gás lacrimogêneo e aparato de repressão, quando isto poderia estar sendo investido em cultura, saúde, educação?… 

Adicionem nos comentários suas próprias dúvidas, inquietações, desabafos… 

Confiram o vídeo:

http://youtu.be/DVWs3eO5K4U

"An explosion of joy on the streets of Rio greeted the announcement that the city would be hosting the 2016 Olympic Games.

Two weeks later, and Rio saw an explosion of violence when a police helicopter was shot down by drug traffickers.

The government’s reaction has been to intensify the crackdown on the city’s slums - or Favelas…”

COMPARTILHE

COMO NÃO PAGAR IPVA
por Vladimir Safatle

Todos os anos você precisa pagar o IPVA do seu carro. Como o nome diz, trata-se de um Imposto de Propriedade sobre Veículos Automotores. Bem, um veículo automotor é, pasmem vocês, “aquele dotado de motor próprio”.

Por exemplo, um carro de boi não pagará IPVA por não ter motor próprio: o motor é o boi, a saber, uma entidade ontologicamente a parte do aparato técnico de motricidade desenvolvido pelo saber humano. A bicicleta não pagará o imposto pela mesma razão, assim como o helicóptero do banqueiro, o jato particular do escroque e o iate do Naji Nahas.

"Assim como o helicóptero, o jato particular e o iate"? Sim. Você poderá procurar todos os meandros do saber jurídico, encontrar explicações surreais, como aquela que afirma que o atual IPVA substituiu a antiga TRU (Taxa Rodoviária Única), logo os veículos automotores que pagarão impostos são apenas aqueles colados no chão.

No entanto, a verdade é uma só: helicópteros, jatos particulares e iates não pagam IPVA porque, no Brasil, os ricos definem as leis que protegerão seus rendimentos e desejos de ostentação. Bem-vindo àquilo que economistas como o francês Thomas Piketty chamam de “capitalismo patrimonial”: um capitalismo construído para quem ganha mais continuar a ganhar mais, a não precisar devolver nada para a sociedade, enquanto quem ganha menos é continuamente espoliado e recebe cada vez menos serviços do Estado.

Se os 20 mil jatos particulares e os 2.000 helicópteros que voam livremente no Brasil pagassem IPVA, teríamos algo em torno de mais R$ 8 bilhões. Esse valor é o equivalente a, por exemplo, dois orçamentos da USP. Ou seja, se aqueles que têm mais capacidade de contribuição simplesmente pagassem para ter seu singelo helicóptero o mesmo que você paga para ter seu carro, poderíamos financiar mais duas universidades com 90 mil alunos estudando gratuitamente.

Esse é apenas um dentro vários exemplos de como o Brasil se organizou para ser um país onde ser rico é um ótimo negócio. Um país que, só em 2014, deverá ter mais 17 mil milionários e nenhum deles pagando aquilo que você paga. Porque, aqui, quanto mais você sobe (de preferência de jato ou helicóptero), mais você é protegido. Isso pode parecer uma explicação primária, mas muitas vezes o óbvio é o que há de mais difícil a enxergar.

Como disse, não um esquerdista de centro acadêmico, mas o megainvestidor norte-americano Warren Buffett: “Quem disse que não há luta de classe? Claro que há, e nós estamos vencendo”.

Vladimir Safatle, filósofo e jornalista, 
candidato ao governo de SP pelo PSOL.
COMPARTILHE ESTE TEXTO 



Páscoa Maconheira

Easter Sunday
Domingo de Páscoa em Toronto e milhares de maconheiros se reuniram no epicentro da metrópolis canadense, na rua Yonge com a Dundas, em prol da legalização. Na foto, a nuvem de fumaça não é sinal de poluição, mas sim o efeito de uns 1.000 baseados acesos simultaneamente (às 4:20, é claro!). O Canadá já regulamentou tanto a cannabis medicinal quanto o plantio industrial de cânhamo – e a intensa…

View On WordPress

Domingo de Páscoa em Toronto e milhares de maconheiros se reuniram no epicentro da metrópolis canadense, na rua Yonge com a Dundas, em prol da legalização. Na foto, a nuvem de fumaça não é sinal de poluição, mas sim o efeito de uns 1.000 baseados acesos simultaneamente (às 4:20, é claro!). O Canadá já regulamentou tanto a cannabis medicinal quanto o plantio industrial de cânhamo - e a intensa pressão das ruas talvez faça com que se torne em breve o segundo país no mundo - após o Uruguai - a legalizar a marijuana completamente. Será que agora vai? 

Veja mais fotos

Saiba mais sobre o atual estado das coisas cannábicas no Canadá

Compartilhe no Facebook

Lars Von Trier: Gênio ou Fraude? (por Linda Badley)

Nymphomaniac_Lars_Von_Trier

“Lars Von Trier – genius or fraud?” – asks a May 2009 Guardian Arts Diary poll. Its subject is arguably world cinema’s most confrontational and polarizing figure, and the results: 60.3% genius, 39,7% fraud.

Trier takes risks no other filmmaker would conceive of (…) and willfully devastates audiences. Scandinavia’s foremost auteur since Ingmar Bergman, the Danish director is “the unabashed prince…

View On WordPress

O Mito de Prometeu: poema de Goethe, pintura de Rubens, música de Schubert e Hugo Wolf
Peter_Paul_Rubens,_Flemish_(active_Italy,_Antwerp,_and_England)_-_Prometheus_Bound_-_Google_Art_Project

Peter Paul Rubens (1577-1640)


Prometheus (1774)
 Wolfgang von Goethe (1749-1832)

Encobre o teu céu, ó Zeus,
Com vapores de nuvens,
E, qual menino que decepa
A flor dos cardos,
Exercita-te em robles e cristas de montes;
Mas a minha Terra
Hás-de-ma deixar,
E a minha cabana, que não construíste,
E o meu lar,
Cujo braseiro
Me invejas.

Nada mais pobre conheço
Sob o sol do que vós, ó Deuses!
Mesquinhamen…

View On WordPress

"Believe nothing, no matter where you read it, or who said it, unless it agrees with your own reason and your common sense." - Siddharta Gautama

"Believe nothing, no matter where you read it, or who said it, unless it agrees with your own reason and your common sense." - Sidharta Gautama
question-everything


FAITH & DOUBT

by Jean-Marie Guyau (1854-1888)

“Doubt has long enough been accused of immorality, but the immorality of dogmatic faith can be equally maintained. To believe is to assert as real to myself that which I simply conceive as possible – sometimes as impossible. This is seeking to build up an artificial truth… At the same time it is shuting one’s eyes to the objective truth, thrusting it…

View On WordPress

CURTIU? ENTÃO ESPALHE!